Três novas cervejas trapistas surgem no cenário cervejeiro. Aprovadas pela International Trappist Association, as cervejas receberam o selo de Authentic Trappist Product.

A oficialização aconteceu no início desta semana, dia 17. A novidade é a oficialização da cerveja  Tynt Meadow, produzida pelo mosteiro Mount St. Bernard, da Inglaterra.

Os rótulos certificados como Trapistas são:

  • English Trappist Ale Tynt Meadow (Inglaterra)
  • Zundert 10 (Holanda)
  • Tre Fontane Scala Coeli (Itália)

Tynt Meadow: Primeiro rótulo do mosteiro Mount St. Bernard

Mount St. Bernard

Esta é a oficialização do mosteiro Mount St. Bernard (Inglaterra), com o rótulo Tynt Meadow. O mosteiro iniciou a produção do rótulo em junho deste ano.

A cervejaria de Mount St. Bernard possui capacidade de produção de dois mil litros por lote.

Tanto o mosteiro Maria Toevlucht Abbey (Holanda) como o Tre Fontane (Itália) já produzem um rótulo com o selo trapista.

Zundert 10: Segundo rótulo com selo trapista produzido pela Maria Toevlucht Abbey

Cervejas trapistas

Atualmente 14 mosteiros possuem cervejas com selo trapista.

A designação Trapista está ligada a um certificado de origem e não a um estilo específico de cerveja.

Outros produtos produzidos nestes mosteiros também podem receber o selo, como queijos, licores, chocolates, azeites e até produtos de limpeza.

Scala Coeli: Segunda cerveja com selo trapista da Tre Fontane

Requisitos

Independente do produto, para obter selo trapista é preciso atender três requisitos.

  1. O produto precisa ser produzido nas proximidades do mosteiro trapista;
  2. A produção deve ser supervisionada por monges Trapistas;
  3. Os lucros com a venda dos produtos devem ser utilizados exclusivamente para a manutenção do mosteiro, de sua comunidade e em projetos de caridade.

Conforme reforça a  International Trappist Association, o selo é uma garantia aos consumidores que os produtos vendidos atendem os padrões e valores da comunidade Trapista.