Um novo rótulo nasce como símbolo na luta contra o câncer de mama.

A cerveja Batom Vermelho foi criada através da colaboração de confrarias e coletivos femininoscervejeiras e cervejeiros de todo país e empresas do setor.

O projeto foi lançado para o Outubro Rosa, campanha que acontece durante o mês de outubro para conscientização sobre a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama.

“A proposta é fazer uma cerveja temática com o intuito de conscientização e arrecadação de doações para instituições de combate ao câncer de mama”, destaca a descrição do projeto.

Batom Vermelho: Catharina Sour com maracujá e hibisco

Batom Vermelho: Catharina Sour com maracujá e hibisco (Fonte: EAP)

Batom Vermelho

O rótulo é uma Catharina Sour com adição de maracujá e hibisco. A cerveja possui 4,6% de teor alcoólico.

Com apoio da cervejaria Dádiva, foram produzidos 1,6 mil litros neste primeiro lote, que serão comercializados em latas de 473 ml e barris.

O apoio para produção veio das empresas Realli e Levteck, que doaram os insumos para produção da cerveja. A produção do rótulo teve o apoio da Label Impressões.

Comercialização

Em conversa com o MalteMoney, Nadhine França, uma das organizadoras do projeto, explicou que este primeiro rótulo será comercializado em diversos Estados do país:

  • São Paulo;
  • Rio de Janeiro;
  • Rio Grande do Sul;
  • Minas Gerais;
  • Pernambuco;
  • Rio Grande do Norte;
  • Santa Catarina;
  • Amapá;
  • Bahia;
  • Paraná
  • Pará;
  • Ceará;
  • Goiás;
  • Espírito Santo;
  • Distrito Federal.
Cerveja Batom Vermelho

Batom Vermelho: rótulo lançado para o Outubro Rosa (Fonte: Dádiva)

Projeto

O projeto mobiliza cerca de 470 mulheres, participantes de 20 confrarias e coletivos femininos em todo o país.

“Esse é o primeiro passo para construção de uma Associação Feminina Cervejeira, que pode ser uma ONG ou um negócio social com objetivos em comum desses coletivos femininos cervejeiros”, explica a descrição do projeto.

Objetivos
  • Disseminar a cultura cervejeira;
  • Fomentar a profissionalização da mulher no meio cervejeiro;
  • Promover o consumo consciente;
  • Realizar medidas contra o machismo no ambiente profissional e nos ambientes de consumo.

Fazem pare deste projeto os 20 confrarias e coletivos femininos:

  1. Maria Bonita Beer – Recife (PE) 48 integrantes;
  2. Puro is Malte – Petrolina (PE) – 13 integrantes;
  3. Lupulindas – Belém (PA) – 17 integrantes;
  4. Batom Malte – Macapá (AP) – 16 integrantes;
  5. Confradelas – Fortaleza (CE) – 72 integrantes;
  6. Tulipas Salvador – Salvador (BA) – 21 integrantes;
  7. Amazonas Cervejeiras – Manaus (AM) – 11 integrantes;
  8. The Queens – Natal (RN) – 16 integrantes;
  9. Däs Könfrädessäs – Brasília (DF) – 16 integrantes;
  10. Ceva das Minas – Porto Alegre (RS) – 80 integrantes;
  11. Minas Cervejeiras – Belo Horizonte (MG) – 50 integrantes;
  12. Confraria Cervejeira Mulheres do Malte – Rio de Janeiro (RJ) – 30 integrantes;
  13. Beba como uma Garota – Juiz de Fora (MG)  – 8 integrantes;
  14. Cervejeiras Cariocas – Rio de Janeiro (RJ) – 12 integrantes;
  15. ELA – Vários estados – 30 integrantes;
  16. Ordem das Cervejeiras – Florianópolis (SC) – 10 integrantes;
  17. Confece – Belo Horizonte (MG) – 10 integrantes;
  18. MovCeu – Uberlândia (SP) – 12 integrantes;
  19. Capixabeer – Vitória (ES) – 17 integrantes;
  20. Fulô de Mandacaru – João Pessoa (PB) – 7 integrantes.