Mais cara que as marcas chinesas e vista como uma cerveja importada, a Budweiser apresenta ganhos significativos no mercado de cervejas da China.

Neste primeiro semestre de 2018, as vendas da Budweiser na China superaram as dos Estados Unidos pela primeira vez. A tendência é que cenário continue nos próximos meses, apurou a Beverage Daily.

O movimento é reflexo de uma tendência global, no qual os consumidores tendem a preferir cervejas importadas ou artesanais.

O consumo de cerveja domésticas de grande escala tem caído globalmente em seus respectivos países de origem, afirma o Rabobank.

Segundo levantamento do Rabobank, o consumo de cervejas domésticas nos Estados Unidos caiu nas últimas duas décadas, enquanto na China, a demanda por cervejas norte-americanas tem crescido continuamente.

Fábrica da AB InBev na China

Fábrica da AB InBev na China

Estagnação nos Estados Unidos

Conforme reportou o Beverage Daily, o consumo de cerveja nos Estados Unidos está estagnado desde 2000.

Segundo análise do Rabobank, em 2017 foram consumidos 23,459 bilhões de litros, praticamente inalterado se comparado com 2000, quando o consumo foi de 23,5 bi de litros.

Nos Estados Unidos, consumidores têm migrado das marcas como Budweiser, Heineken e Coors para os rótulos da Corona, Modelo and Dos Equis. Parte deste comportamento nos Estados Unidos pode estar ligado à imigração, indica o banco.

O consumo de cerveja doméstica nos Estados Unidos representava 87,7% do consumo total de cervejas. Em 2017, esta participação caiu para 67,6%, segundo o Rabobank.

As cervejas artesanais e as importadas tiveram aumento na participação, saindo de 12,3% em 2000 para 32,4% em 2017.

Conforme afirmam o Rabobank e Beverage Daily, este padrão também é observado em outros países, como China, Brasil, México, Alemanha e todo o Reino Unido.

Budweiser comercializada na China (Fonte WSJ)

Budweiser comercializada na China (Fonte WSJ)

Investimentos no mercado chinês

AB InBev reportou participação de 18,6% no mercado chinês em 2016, neste cenário, a Budweiser era a quinta cerveja mais vendia na China, com 3,6% de participação no mercado.

No início de agosto, a Heineken investiu 3,1 bilhões de dólares na controladora da Snow, a China Resources Beer. Atualmente a cerveja Snow possui a maior fatia do mercado chinês, com 25% do mercado.

Outros investimentos acontecem na China. No final de 2017, a AB InBev inaugurou na cidade de Putian uma das maiores cervejarias do grupo, com capacidade para produção anual de 1,5 bilhão de litros de cerveja.

No mercado de cervejas premium, a ZX Ventures, pertencente ao grupo AB InBevapostou na criação de uma cervejaria para produção dos rótulos especiais do grupo. A cervejaria produzirá os rótulos da Goose Island, Boxing Cat e Kaiba.

Em dezembro de 2017, a maior cervejaria artesanal independente da China foi inaugurada. A Gweilo Beer está localizada em Hong Kong e teve investimento de US$ 5 milhões.

Cerveja Snow: Maior participação de mercado na China

Cerveja Snow: Maior participação de mercado na China