A cervejaria Júpiter completou cinco anos neste mês de julho. Considerada a primeira cervejaria cigana da cidade de São Paulo (SP), a cervejaria soma prêmios em concursos nacionais e internacionais de cervejas.

Conversamos com David Michelsohn, um dos fundadores da Júpiter, que comentou sobre o mercado de cervejas no país. O cervejeiro, que participa de todos os processos na cervejaria, afirma que o relacionamento com o cliente e a criatividade são fundamentais para o sucesso no setor.

Para comemorar a data, a cervejaria realizou neste mês oito tap takeovers em diversos bares da capital paulista. Além do lançamento de um rótulo colaborativo com o brewpub Vórtex, a cerveja Rabo de Galo, uma triple com com infusão de Cynar e maturada com bálsamo.

Como novidades, a cervejaria adianta o lançamento de uma Brut IPA e um rótulo com adição de frutas.

Confira abaixo a entrevista completa

David, Rafael e Alexandre Michelsohn, criadores da Júpiter, fundada em 2013

David, Rafael e Alexandre Michelsohn, criadores da Júpiter, fundada em 2013

Podem contar um pouco sobre o início da cervejaria?

A Júpiter começou com experimentos cervejeiros feitos pelos irmãos David, Rafael e Alexandre Michelsohn no bairro de Pinheiros, Zona Oeste de São Paulo. Lançada comercialmente em 3 de julho de 2013, é a primeira cervejaria cigana da capital paulista. As cervejas da Júpiter não são pasteurizadas, o que garante sabor e aroma mais frescos – esforço que foi recompensado com medalhas nos concursos South Beer Cup de 2014 e Festival Brasileiro de Cerveja de 2015 e 2016.

Quais foram as atividades de comemoração dos cinco anos da Júpiter?

Foram 8 tap takeovers nos bares neste mês de julho:
3/7 – EAP – início das comemorações
5/7 – Câmara Fria
8/7 – Tap Tap com Passeio ciclístico e corrida organizada pela BeerCrew SP
11/7 – Let’s Beer
12/7 – Choperia São Paulo
18/7 – La Fraternité
19/7 – Soul Botequim
24/7 – Vórtex com lançamento do chope colaborativo da cerveja Rabo de Galo

Vocês lançaram com a Vórtex a Rabo de Galo, quais as características desta colaborativa?

A Rabo de Galo é uma cerveja inspirada na cena de bares de São Paulo. A coquetelaria é fonte de muitas ideias inspiradoras e a recente onda de releituras de clássicos pareceu um tema muito bacana para a parceria.
É uma base de tripel com infusão de Cynar, maturada com bálsamo. Ela é perfumada, o bálsamo remete à cachaça e o Cynar traz notas de especiarias. Mas cuidado! Ela desce macio mesmo tendo 8,5% de álcool!

Está mais fácil produzir e comercializar cerveja no Brasil?

Produzir está mais fácil. Comercializar depende mais de você do que do País. Até porque se você for esperar o Brasil melhorar vai demorar muito, né?

Quais os desafios atuais para desenvolver e entregar novas receitas para o mercado?

Você tem sempre que ser muito criativo e tratar bem o seu público. O relacionamento com o cliente é olho no olho. Você tem que participar em todos os níveis, da receita à produção, da venda ao estabelecimento e ao copo do consumidor.

Existem planos para novos lançamentos ou ampliações na produção?

Sempre tem lançamentos e cervejas sazonais. A próxima moda que vem é a Brut IPA, então pode esperar uma da Júpiter também. E estamos preparando uma novidade com frutas para o verão.